Citros: levantamento aponta greening em 45 municípios paulistas

Ribeirão Preto, 4 - Levantamento por amostragem realizado pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) no parque citrícola comercial brasileiro confirmou casos de greening em pomares de 45 municípios do Estado de São Paulo. A última estatística, feita por meio de relatos, apontava casos da doença, descoberta em março, em 32 municípios. Apesar de mais concentrado na região central de São Paulo, o greening já atingiu pomares nas regiões Norte e Sul do Estado. O levantamento foi realizado por 210 inspetores do Fundecitrus em mais de 5,1 mil talhões, ou 16,2 milhões de plantas, cerca de 7% do total do parque citrícola. A inspeção, feita em 259 municípios, custou ao Fundecitrus cerca de R$ 330 mil. "Com o levantamento, teremos a possibilidade de planejar melhor as ações de controle, porque é possível saber qual o panorama real da área de contaminação do greening", diz o secretário-executivo do Fundecitrus, Nelson Gimenes Fernandes. Todas essas constatações foram comprovadas em laboratório por testes de PCR (Reação de Polimerase em Cadeia, em português), método que consegue, neste caso, detectar e identificar o DNA das bactérias causadoras do greening, por ser muito sensível. O greening, ou hunglongbing, é causado por uma bactéria, a Candidatus Liberibacter, e sua ação faz com que as plantas fiquem amareladas, os frutos deformados e de pequeno tamanho e a produtividade caia. Além da erradicação das plantas, técnicos sugerem que sejam sempre utilizadas novas mudas com certificado de sanidade e que haja o controle químico nos pomares na tentativa de se eliminar o vetor da bactéria, um pequeno inseto chamado Diaphorina citri. A incidência do greening no município de Araraquara, considerado o coração do parque citrícola comercial brasileiro, atingiu 20,22% dos talhões inspecionados pelos técnicos do Fundecitrus. Dos 5,1 milhões de talhões avaliados no parque citrícola comercial, 3,4% registraram casos da doença, causada pela Cadidatus Liberibacter e transmitida pela Diaphorina citri. De acordo com o Fundecitrus, os municípios com pomares nos quais há casos de greening são: Aguaí, Américo Brasiliense, Analândia, Araraquara, Araras, Avaré, Bariri, Boa Esperança do Sul, Botucatu, Brotas, Capela do Alto, Casa Branca, Descalvado, Engenheiro Coelho, Gavião Peixoto, Ibaté, Ibitinga, Itápolis, Itirapina, Jaboticabal, Leme, Limeira, Luiz Antônio, Matão, Mogi Guaçu, Motuca, Nova Europa, Pirajuí, Pirassununga, Reginópolis, Ribeirão Bonito, Rincão, Rio Claro, Santa Cruz da Conceição, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Cruz do Rio Pardo, Santa Lúcia, Santa Rita do Passa Quatro, Santa Rosa do Viterbo, São Carlos, São Simão, Tabatinga, Taiúva, Tambaú e Taquaritinga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.