CMN unifica juros do Moderinfra mas reduz volume de recursos

Brasília, 16 - O conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou hoje alterações no Moderinfra, linha de crédito destinada à irrigação e armazenagem. Esta linha de crédito anunciada pelo governo em julho deste ano, junto com o Plano Agrícola e Pecuário 2004/05, previa a liberação de R$ 700 milhões, com taxas de juros diferenciadas. Para contratações até R$ 400 mil, a taxa de juros era 8,75% ao ano e no limite de R$ 600 mil era de 10,75%. Hoje, o CMN optou hoje por uniformizar a taxa do Moderinfra em 8,75% e decidiu reduzir total de crédito disponível de 700 milhões para R$ 500 milhões. "Com a redução do total oferecido poderemos diminuir a taxa de juros sem que haja impacto fiscal", explicou o assessor para assuntos agrícolas do Ministério da Fazenda, Gerardo Fonteles. Ele lembrou que a contratação de recursos desta linha poderá ser feita até julho de 2005, quando termina o ano safra atual. O ministério da Agricultura havia solicitado ao CMN a unificação das taxas do Moderinfra, mas defendia que volume total de crédito previsto fosse mantido em R$ 700 milhões. O CMN também autorizou hoje a renegociação de dívidas de pequenos produtores que têm acesso aos financiamentos do Programa Nacional de Apoio à Agricultura Familiar (Pronaf). A medida beneficia cerca de 87 mil micro-produtores, que poderão pagar suas dívidas em até 10 vezes, com desconto de 20% em cada parcela. A data limite para pagamento destes débitos é junho de 2006.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2004 | 11h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.