CNA diz que embargo é pretexto para Rússia discutir acesso à OMC

Brasília, 24 - O presidente do Fórum Nacional de Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira, afirmou hoje que a Rússia queria "um fato para discutir assuntos comerciais com o Brasil". O "fato" teria sido encontrado na descoberta de um novo foco de febre aftosa, desta vez no município de Careiro da Várzea, em Manaus. "Os russos querem é discutir a venda de trigo para o Brasil e um acordo bilateral para a entrada do país na OMC", disse Nogueira. Alegando instabilidade sanitária, a Rússia suspendeu as importações de carne bovina, suína e de frango do País há uma semana. Em entrevista coletiva, Nogueira disse que "havia indicações de que os russos aceitaram o convite do governo brasileiro para visitar o Amazonas". Fontes da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura informaram, no entanto, que não há confirmação da visita até o momento. O convite para que técnicos russos visitem regiões de pecuária de corte do País, especificamente o Amazonas, onde foi detectado o foco, foi feito na última terça-feira. Nesse dia, o secretário de Produção e Comercialização do ministério, Linneu Costa Lima, que liderou missão brasileira que esteve em Moscou, entregou carta sugerindo a visita. A carta com o convite e com informações sobre o foco foi endereçada ao Serviço de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Federação da Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.