Coca-Cola afirma que objeto estranho em garrafa era um bolor

Consumidora será indenizada em R$ 14.480 após afirmar ter encontrado uma 'lagartixa' em refrigerante; empresa afirma que perícia concluiu que era um fungo

Economia & Negócios,

13 de março de 2014 | 12h00

SÃO PAULO - A Coca-Cola enviou um posicionamento sobre a decisão da Justiça de determinar a indenização de R$ 14.480 a uma consumidora após ela ter encontrado uma "lagartixa" em uma garrafa. Segundo a empresa, não havia lagartixa na bebida.

O objeto estranho encontrado na garrafa de Coca-Cola passou por uma perícia que constatou que se tratava de "material biológico" (fungos). A empresa enviou o laudo da perícia.

"Sobre a decisão do STJ do dia 11 de março de 2014, determinando que a empresa pague uma indenização a um consumidor, esclarecemos que perícias solicitadas pela Justiça e realizadas durante o processo concluíram que os resíduos encontrados na embalagem eram bolores, normalmente causados por armazenamento incorreto, exposição ao sol ou impactos."

Em novembro de 2005, a consumidora comprou uma garrafa de Coca-Cola, mas, antes de tomar o refrigerante, reparou que em seu interior havia fragmentos estranhos. O exame mais apurado, com ajuda de uma lupa, revelou tratar-se de "algo semelhante a uma lagartixa ou, ainda, pedaços de pele humana", segundo afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Coca-Cola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.