REMY GABALDA /AFP
REMY GABALDA /AFP

Lucro da Coca-Cola cai no 1º tri e empresa cita fraqueza da economia do Brasil e Rússia

Além do ambiente recessivo nos dois países, companhia enfrentou no 1º trimestre um período de demanda fraca na Europa e Japão e desaceleração econômica na China; lucro somou US$ 1,48 bilhão

O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2016 | 11h37

NOVA YORK - O lucro da Coca-Cola recuou para US$ 1,48 bilhão (US$ 0,34 por ação) no primeiro trimestre de 2016, de US$ 1,56 bilhão (US$ 0,35 por ação) em igual período do ano passado. A receita da companhia teve recuo de 4% na mesma comparação anual, para US$ 10,28 bilhões no primeiro trimestre deste ano. A fraqueza no Brasil e na Rússia foi citada como uma das causas para o resultado pior.

Analistas ouvidos pela Thomson Reuters haviam previsto receita de US$ 10,27 bilhões. O resultado veio, portanto, um pouco acima do esperado.

A Coca-Cola luta com um ambiente fraco para seus negócios no exterior, com países importantes como Rússia e Brasil em recessão, a demanda fraca dos consumidores na Europa e no Japão e a desaceleração econômica na China. O enfraquecimento de moedas no exterior também prejudica a empresa, que realiza cerca de metade de suas vendas no exterior, mas converte esses resultados para dólar. As vendas globais recuaram 4% no período.

A companhia tem conseguido em parte compensar esse cenário com altas nos preços e atraindo consumidores a optar por embalagens menores, que custam mais por litro consumido, no mercado dos EUA. 

Excluindo-se certos itens, o lucro por ação foi de US$ 0,45, um pouco acima da previsão dos analistas, de US$ 0,44 por ação. A companhia informou que o câmbio cortou 12 pontos porcentuais de seu lucro por ação no trimestre. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.