Colheita farta e maior produtividade favoreceram agropecuária

Produção da soja, em destaque, cresceu 23,3% na comparação anual

Fernanda Nunes, Mônica Ciarelli, Mariana Durão, Vinícius Neder e Gustavo Porto, da Agência Estado,

29 de maio de 2013 | 10h21

RIO E SÃO PAULO - A agropecuária teve seu desempenho favorecido pela combinação de dois fatores: uma colheita farta e uma maior produtividade em colheitas como soja, milho, fumo e arroz.

"Além de um crescimento na produção dessas culturas, a área plantada não cresceu no mesmo ritmo. Isso significa maior produtividade", explicou Rebeca Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE, ao detalhar a alta de 17% do setor em relação ao primeiro trimestre de 2012. Na comparação trimestral, a agropecuária avançou 9,7%.

No caso da soja, maior destaque, a quantidade produzida cresceu 23,3% em ante o mesmo trimestre do ano passado. Já a área plantada cresceu 10,2%. No caso do milho, a produção cresceu 9,1%, enquanto a área plantada 5,4%. No fumo a diferença foi ainda maior: 5,7% na quantidade produzida e apenas 0,3% na área plantada.

O presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Carlos Corrêa Carvalho, comentou que as altas da agropecuária mostram que o setor sustenta a economia do País. "É preciso ver que o agro é o que segura o País. Infelizmente, a sociedade urbana ainda divide as coisas e não reconhece isso", disse. Segundo ele, a safra de grãos foi recorde em 2012/2013.

No entanto, Carvalho lembra que a alta produção expôs novamente os gargalos logísticos do País. "Quem acaba superando todas as dificuldades e dá base para seguir o País para frente é o setor que não é respeitado. É só ver o que acontece com a logística e as perdas que acontecem desde as fazendas", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.