Com ajuda digital, NYT tem lucro de US$ 15,7 milhões no 3º trimestre

 No mesmo período do ano passado, jornal registrou prejuízo de US$ 4,26 milhões

Economia & Negócios,

20 de outubro de 2011 | 18h06

SÃO PAULO - O jornal norte-americano New York Times divulgou nesta quinta-feira, 20, um lucro líquido de US$ 15,7 milhões, ou US$ 0,10 a ação, no terceiro trimestre, comparado com um prejuízo de US$ 4,26 milhões, ou US$ 0,03, no mesmo período no ano anterior.

O resultado foi ajudado pelo desempenho de sua versão digital, que registrou um aumento de mais de 40 mil assinantes no período. A receita de circulação aumentou 3,4% por causa das assinaturas digitais, que estão em 324 mil.

"Nós fizemos um resultado significativo no desenvolvimento de uma robusta fonte de receita de assinatura digital", disse a presidente do grupo Times Co., Janet Robinson.

O resultado compensou a continuidade do recuou das receitas de publicidade. De julho a setembro, a receita de anúncios despencou 8,8%, o que impactou na queda de 3,1% da receita total, para US$ 537,1 milhões.

O lucro líquido inclui US$ 65,3 milhões de ganhos pré-impostos pela venda de mais da metade das ações da empresa detentora do Boston Red Sox. Excluindo-se a venda, divisões e outros itens, os ganhos das operações caiu de US$ 0,07 para US$ 0,05.

Analistas entrevistados pela Thomson Reuters haviam projetado ganhos de US$ 0,04 para uma receita de US$ 541 milhões. Executivos esperam aumento da receita total de circulação no quarto trimestre.

O New York Times começou a cobrar em março pelo acesso ao conteúdo de seu site, mais de um ano depois de anunciar que pretendia retomar esse tipo de cobrança. Esse é a terceira tentativa do jornal de conseguir aumentar suas receitas com o conteúdo digital. Além disso, o grupo New York Times Co. lançou na última quarta uma opção de assinatura para a versão online de seu diário Boston Globe.

(Com informações de Agências Internacionais)

Tudo o que sabemos sobre:
nytlucrointernet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.