Com capitalização, Caixa e BNDES vão poder emprestar mais

Ações da Petrobrás aumentarão patrimônio dos bancos sem que o governo desembolse recursos

Agência Estado,

27 de agosto de 2010 | 17h12

O governo por meio de decreto publicado nesta sexta-feira, 27, no Diário Oficial da União decidiu aumentar o capital da Caixa Econômica Federal e do BNDES, com a transferência de ações ordinárias da Petrobrás. Na prática, o governo, detentor de ações ON da estatal, vai usar uma parte delas para aumentar o capital social e, assim, ampliar a capacidade de crédito dos dois bancos.

Essa é uma forma de aumentar o patrimônio dos bancos sem desembolsar recursos. Isso significa que no balanço tanto da Caixa quanto do BNDES haverá uma conta chamada 'ações da Petrobrás'. As duas instituições não, necessariamente, vão precisar vender essas ações para ter dinheiro em caixa e emprestar mais, pois - como todo banco - trabalham alavancadas, ou seja, têm capital de 100 e emprestam 500, por exemplo. Com o aumento do capital social na forma de ações, essa prática se torna ainda mais possível.

Pelo decreto, o BNDES será capitalizado com R$ 4,5 bilhões e a Caixa Econômica Federal, com R$ 2,5 bilhões. A operação que envolve a capitalização do BNDES será feita mediante a transferência de 139.754.560 ações ON da Petróleo Brasileiro S.A (Petrobrás), excedentes à manutenção do controle acionário da União. No caso da Caixa, serão transferidas 77.641.422 ações ON da Petrobrás.

(Com informações do blog Descomplicador)

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásCaixaBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.