Comércio vê família endividada, mas disposta a consumir

Neste mês, 60,7% dos entrevistados para a pesquisa 'Endividamento e Inadimplência do Consumidor' informaram ter contas a pagar

Fernanda Nunes, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2012 | 11h26

RIO - Apesar de ter crescido o número de famílias endividadas na passagem de novembro para dezembro, o comércio está otimista com a disponibilidade de compra do consumidor, afirmou a economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC) Marianne Hanson.

Neste mês, 60,7% dos entrevistados para a pesquisa "Endividamento e Inadimplência do Consumidor" informaram ter contas a pagar. Entretanto, prevaleceu entre eles a percepção de que não estão muito endividados.

"Isso ajuda o comércio. É uma demonstração de que as famílias saíram de um estado de mais cautela e agora estão mais dispostas às compras, a tomar crédito para o consumo", avaliou Marianne.

O quadro de otimismo contrasta com a constatação de que a taxa de endividamento em dezembro foi a mais alta do ano. A economista da CNC, porém, relativiza o resultado. "As famílias vieram de um processo de redução de endividamento desde o fim de 2011. Por isso, não é possível dizer que o patamar de dezembro está alto", ressaltou Marianne, complementando que o consumidor também está mais otimista com a capacidade de pagamento das contas atrasadas, outra boa notícia para o comércio.

Tudo o que sabemos sobre:
comércioendividamentoCNC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.