Comissão europeia deve propor novas medidas em março

Segundo presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, medidas virão para controlar déficit fiscal da Grécia

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2010 | 18h55

O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, disse em um comunicado que a Comissão Europeia vai propor em março novas medidas para solucionar o problema do déficit fiscal da Grécia. Veja a íntegra do comunicado abaixo.

 

"Todos os membros da zona do euro devem conduzir políticas nacionais sadias e de acordo com as regras acordadas. Eles possuem uma responsabilidade compartilhada pela estabilidade econômica e financeira do bloco.

 

"Neste contexto, apoiamos inteiramente os esforços do governo grego e o compromisso para fazer o que for necessário, inclusive adotar medidas adicionais para garantir que as metas ambiciosas estipuladas no programa de estabilidade de 2010 e para os próximos anos sejam cumpridas. Pedimos ao governo grego que implemente todas essas medidas de forma rigorosa e da maneira determinada para reduzir efetivamente o déficit orçamentário em 4% em 2010.(*)

 

"Convidamos o Conselho Ecofin a adotar em sua reunião de 16 de fevereiro recomendações para a Grécia baseadas na proposta da Comissão e as medidas adicionais anunciadas pela Grécia.

 

"A Comissão monitorará de perto a implementação dessas recomendações juntamente com o Banco Central Europeu (BCE) e vai propor outras medidas necessárias, contando com a opinião do Fundo Monetário Internacional (FMI). A primeira avaliação será realizada em março.

 

"Os Estados-membros da zona do euro tomarão medidas determinadas e coordenadas, se necessário, para proteger a estabilidade financeira na zona do euro como um todo. O governo grego não solicitou suporte financeiro."

 

* Apesar do texto do comunicado citar como meta uma redução de 4% do déficit orçamentário grego neste ano, o ministro de Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, afirmou em meados de janeiro que o país pretende reduzir seu déficit orçamentário de 12,7% do PIB em 2009 para 8,7% do PIB em 2010. Para ver o comunicado original do Conselho Europeu, clique aqui.

 

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.