Yuya Shino/Reuters
Yuya Shino/Reuters

Comissão do Senado chama Burger King e McDonald's para explicar propagandas enganosas de hambúrguer

Além das empresas, a comissão vai convidar um representante do Conar, um representante da página Coma com os Olhos, que publicou o caso nas redes sociais, e um integrante da Anvisa para discutir a polêmica

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2022 | 21h02

BRASÍLIA - A Comissão de Transparência, Fiscalização e Defesa do Consumidor do Senado decidiu chamar os representantes das empresas Burger King e McDonald's para debater as denúncias que apontam publicidade enganosa na venda de sanduíches.

O McDonald's no Brasil foi notificado por órgãos de defesa do consumidor por não utilizar carne de picanha na nova linha de sanduíches, o ‘McPicanha’. O mesmo aconteceu com o hambúrguer Whopper Costela da rede fast food Burger King.

"Nós não podemos aceitar isso aí. Isso tem que ser esclarecido, isso tem que ser colocado a pratos limpos, e aqueles que induziram a um equívoco dessa natureza precisam ser responsabilizados", afirmou o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), autor do requerimento aprovado pela comissão para a audiência pública.

Além das empresas, a comissão vai convidar um representante do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), um representante da página Coma com os Olhos, que publicou o caso nas redes sociais, e um integrante da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para discutir a polêmica. A comissão ainda não marcou uma data para a audiência, que dependerá da agenda dos convidados.

A realização do debate foi votada no Senado em uma semana de agenda mais fraca, em que os senadores evitam analisar projetos mais polêmicos, diante da proximidade do período eleitoral. No mês passado, a votação da reforma tributária foi cancelada por falta de quórum na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Diferente dessa proposta, a realização da audiência pública sobre a propaganda dos sanduíches foi aprovada de forma simbólica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.