Competição crescente no Brasil não afetará margens de lucro, diz Fiat

Executivo-chefe da montadora italiana disse que  fator será considerado enquanto a companhia aumenta capacidade de produção

Álvaro Campos, da Agência Estado,

28 de outubro de 2011 | 14h24

O executivo-chefe da montadora italiana Fiat, Sergio Marchionne, disse nesta sexta-feira, 28, não acreditar que a crescente competitividade no Brasil afetará as margens de lucro da companhia no País. Segundo ele, a Fiat vai defender sua participação de mercado.

"Nós não prevemos nenhuma deterioração do desempenho das nossas margens no Brasil", comentou em um teleconferência com analistas hoje, na qual foi discutido o balanço da companhia no terceiro trimestre. "Nós vamos analisar isso muito cuidadosamente, enquanto aumentamos nossa capacidade", acrescentou, se referindo ao investimento em uma nova unidade, para elevar a capacidade de produção.

Outras montadoras, como a francesa Renault, também estão tentando aproveitar a crescente demanda por automóveis no Brasil.

Antes da Fiat assumir o controle da norte-americana Chrysler, boa parte de seus lucros vinha do Brasil. E mesmo com a Chrysler abrindo o mercado dos EUA para a Fiat, o País permanece uma área importante para a companhia italiana.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.