Compras pela internet aumentam entre paulistanos

Segundo a FecomercioSP,  atualmente, 62,71% da população de São Paulo tem hábito de fazer compras pela internet; Em 2011, a porcentagem era de 51,5%

Beatriz Bulla, da Agência Estado,

23 de agosto de 2012 | 10h13

O número de paulistanos que usa a internet para realizar compras cresceu de 2011 para cá. Pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com mil moradores da capital paulista mostra que, atualmente, 62,71% da população da cidade tem hábito de fazer compras pela internet. Em 2011, a porcentagem era de 51,5%.

A 4ª Pesquisa sobre o Comportamento dos Usuários da Internet, realizada em maio, mostrou que a praticidade continua sendo o principal motivo que leva os consumidores a optar por comprar pela internet, representando 39,27% das respostas. Apesar de ser a razão que prevalece, a porcentagem dos que responderam praticidade para esta questão no ano passado era maior, de 54,46%. Na sequência da lista das razões que levam os consumidores a fazer compras online vêm o melhor preço (25,12%) e a confiança na empresa (16,38%).

A variedade de produtos - com alguns importados vendidos no País exclusivamente por sites - e o marketing atraíram este ano 11,13% e 5,56% dos consumidores, com avanços de 10,16 e 5,37 pontos porcentuais desde o ano passado, respectivamente.

Do outro lado, entre as razões que levam os internautas a não realizarem compras por meio eletrônico está o receio de fraudes, resposta de 61,04% dos entrevistados (ante 52,69% em 2011). O receio de não receber o produto teve alta de 10,19 pontos porcentuais e somou 10,39% das causas que levaram os internautas a não comprarem.

A necessidade de ver pessoalmente o produto antes de comprar, contudo, caiu e passou de 23,15% para 12,55%. O custo final do produto somado ao valor do frete também deixou de ser um dos principais fatores que desmotivam as pessoas a comprar. Na pesquisa mais recente, a resposta foi dada por 2,16% dos entrevistados, uma queda de 15,5 pontos porcentuais.

Tudo o que sabemos sobre:
e-commercepesquisaFecomercioSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.