Concessão de aeroporto é instrumento para combater crise, diz Dilma

A presidente assinou nesta segunda o primeiro contrato de concessão à iniciativa privada do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

28 de novembro de 2011 | 14h04

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira, 28, que a concessão à iniciativa privada do aeroporto em São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN), faz parte dos instrumentos utilizados pelo governo para garantir empregos e combater a crise.

Segundo ela, o Brasil está em outro momento em relação aos países da Europa e aos Estados Unidos, que enfrentam séria crise econômica. "Este país, diante dessa crise, tem todas as condições de continuar crescendo, o seu povo continuar consumindo, as suas empresas produzindo, os seus aeroportos sendo implantados, porque chegou o momento em que o Brasil amadureceu. Nós amadurecemos economicamente. Somos um país que sabemos crescer, manter estabilidade, não sair por aí se endividando lá fora como se fazia antes", afirmou Dilma, em discurso durante a cerimônia de assinatura do contrato de concessão à iniciativa privada de exploração do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, em Natal.

A presidente afirmou que o Brasil dispõe de US$ 350 bilhões de reservas e dinheiro suficiente (R$ 440 bilhões) no Banco Central para garantir o crédito às empresas brasileiras, se o crédito externo for interrompido.

Segundo Dilma, o Rio Grande do Norte abre caminho para o seu desenvolvimento com a concessão do aeroporto à iniciativa privada."Este país cresce quando sua população consome, trabalha. Este aeroporto faz parte disso".

Tudo o que sabemos sobre:
dilma rousseffconcessãoaeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.