Confiança do consumidor fica praticamente estável em janeiro

Segundo a FGV, Índice de Confiança do Consumidor (ICC) passou de 121,7 para 121,6 pontos

Kelly Lima, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 09h12

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getúlio Vargas - composto por cinco quesitos contidos na Sondagem de Expectativas do Consumidor - ficou praticamente estável entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011, ao passar de 121,7 para 121,6 pontos, segundo divulgou nesta quinta-feira, 27, a instituição.

Segundo a FGV, o Índice da Situação Atual (ISA) reduziu-se em 1,4%, ao passar de 146,2 para 144,2 pontos. O Índice de Expectativas (IE) avançou 0,7%, ao passar de 108,9 para 109,7 pontos. A FGV informou que, na pesquisa, a maior contribuição negativa para o ICC no mês foi dada pelo quesito que mede a satisfação dos consumidores com o estado geral da economia no momento. A proporção dos que avaliam a situação atual como boa aumentou de 35,5% para 35,6% do total enquanto a dos que a consideram ruim elevou-se de 15,4% para 19,3%.

A Sondagem de Expectativas do Consumidor é realizada com base numa amostra com mais de 2000 domicílios em sete das principais capitais brasileiras. A coleta de dados para a edição de janeiro de 2011 foi realizada entre os dias 03 e 21 de janeiro de 2011. A próxima divulgação de resultados da Sondagem do Consumidor ocorrerá em 24 de fevereiro de 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
ICCFGVconsumidorconfiança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.