Confiança do consumidor nos EUA atinge menor nível em seis meses

Índice de confiança medido pelo Conference Board caiu para 60,8 em maio, abaixo das expectativas

Danielle Chaves e Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

31 de maio de 2011 | 11h31

O índice de confiança do consumidor dos EUA medido pelo Conference Board caiu para 60,8 em maio, do dado revisado de 66,0 em abril. O resultado de abril havia sido calculado inicialmente em 65,4. O dado de maio foi o mais baixo desde novembro do ano passado e ficou muito abaixo das estimativas de 66,4 dos economistas ouvidos pela Dow Jones.

O índice de expectativas para a atividade econômica nos próximos seis meses despencou para 75,2 em maio, de 83,2 em abril, que havia sido originalmente calculado como 82,6. O índice de situação presente caiu para 39,3 em maio, de 40,2 em abril, antes calculado em 39,6.

As expectativas de inflação aumentaram neste mês. Segundo a pesquisa, os consumidores, em média, esperam que a inflação suba para 6,6% dentro de 12 meses. Em abril, a previsão era de 6,3%.

Entre os consumidores consultados, 43,9% acreditam que os empregos estão "difíceis de conseguir" neste mês, acima de 42,4% em abril, enquanto 5,6% acreditam que os empregos estão "abundantes", de 4,6% em abril. Mas a porcentagem de consumidores que esperam mais empregos nos próximos meses diminuiu para 15,9% em maio, de 17,8% em abril, enquanto a proporção dos que esperam menos empregos aumentou para 20,8%, de 18,7%.

Os consumidores também estão menos otimistas sobre as perspectivas de renda. A pesquisa mostrou que 14,8% dos consumidores acham que sua renda vai aumentar nos próximos seis meses, menos do que 17,0% em abril, enquanto 15,2% esperam que sua renda diminua, mais do que 14,7% em abril.

Atividade industrial

O índice dos gerentes de compras de atividade do setor de manufatura do Instituto para Gestão de Oferta (ISM) de Chicago caiu para 56,6 em maio, de 67,6 em abril. A previsão dos economistas era de que o índice cairia para 63 em maio.

O índice de preços pagos recuou para 78,6 em maio, de 81,8 em abril. O índice de entregas cedeu para 63,8 em maio, de 68,4 em abril. O índice de emprego recuou para 60,8 em maio, de 63,7 em abril. O índice de novas encomendas desacelerou para 53,5 em maio, de 66,3 em abril. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.