Congresso dos EUA não deve estender cortes de impostos antes da eleição

Eleições de meio de mandato acontecem em 2 de novembro em todo o país

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

23 de setembro de 2010 | 16h23

O Congresso norte-americano não deve votar a extensão dos cortes de impostos adotados na era Bush antes das eleições de meio de mandato, segundo comentários de dois líderes democratas na Câmara dos Representantes e no Senado dos Estados Unidos

O deputado Steny Hoyer, líder da maioria democrata na Câmara, disse nesta quinta-feira, 23, que a Casa não votará a extensão dos cortes de impostos antes das eleições de meio de mandato, marcadas para o início de novembro, a não ser que o Senado tome a dianteira e vote a matéria antes.

Hoyer, deputado pelo Estado de Maryland, declarou pela primeira vez nesta quinta que a Câmara não colocará o tema na pauta se o Senado não votar a extensão de pelo menos parte dos cortes de impostos adotados pelo governo anterior.

"Eu quero esperar para ver o que o Senado fará. Se o Senado não conseguir levar adiante, nós teremos de conversar sobre se somos nós quem devemos assumir o esforço", declarou Hoyer durante entrevista coletiva. Quando jornalistas pediram a ele que fosse mais claro, Hoyer declarou: "Se o Senado não pode fazer nada, nossa posição é clara. Nós não precisamos realizar uma votação só para que o povo norte-americano saiba qual nossa opinião."

Também nesta quinta-feira, o vice-líder da maioria democrata no Senado Richard Durbin (Illinois) disse que seria difícil para o Senado votar o tema antes do pleito.

Somados, os comentários de Hoyer e Durbin indicam ser altamente improvável que o Congresso dê andamento ao assunto nesta semana ou na próxima, quando deve ocorrer a última sessão antes das eleições de 2 de novembro. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.