Conselhos do Pão de Açúcar e Carrefour podem votar proposta em 60 dias

'Todos acionistas serão chamados a se posicionar a favor ou contra', diz Estater

Rodrigo Petry e Altamiro Silva Júnior, da Agência Estado,

28 de junho de 2011 | 10h44

O sócio fundador da Estater, Pércio de Souza, disse esperar que a proposta do banco BTG seja levada à votação no conselho de administração do Pão de Açúcar e do Carrefour em até 60 dias. Segundo ele, porém, se os sócios do Casino não aprovarem, a operação não sai. "Todos acionistas serão chamados a se posicionar a favor ou contra', disse. Souza espera que neste período o Casino se convença que a aprovação do negócio agregará valor para todos os acionistas.

"O Casino vai receber um prêmio por meio da conversão de suas ações em ON da NPA. Isso vai gerar valor a todos, inclusive o próprio Casino", disse. Segundo ele, a proposta não tem relação com o processo de arbitragem aberto pelo sócio francês.

"O BTG, vendo as notícias,  enxergou uma boa oportunidade de negócio. Vimos a operação como uma ótima oportunidade de investimento e procuramos a Estater", disse Carlos Fonseca, sócio da área de Merchant Banking. "A Estater já fazia uma série de estudos, junto com BNDES. E, então, o BTG se juntou trazendo compromisso financeiro e a visão de governança corporativa", completou.

Pela nova estrutura do Novo Pão de Açucar, o BNDESPar terá 18% da nova empresa e o BTG 3,2%. Segundo Pércio, a possibilidade de vendas dos ativos do Carrefour no Brasil começaram desde o ano passado, com o interesse do Walmart. 

Tudo o que sabemos sobre:
EstaterBTGPão de AçúcarCasino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.