Construção civil não apresentou resultado esperado em maio, diz Lupi

Ministro destacou a queda do emprego nesse segmento no Estado em Rondônia, por conta dos problemas no canteiro de obras da hidrelétrica de Jirau

Célia Froufe, da Agência Estado,

20 de junho de 2011 | 17h07

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, admitiu nesta segunda-feira, 20, que o número de maio não foi tão robusto quanto o esperado por ele há um mês. "Alguns setores ainda não deram resultado esperado, como a construção civil", diagnosticou. Ele destacou a queda "muito forte" do emprego nessa área no Estado em Rondônia, por conta dos problemas no canteiro de obras da hidrelétrica de Jirau. "Isso pesa", resumiu.

Mesmo assim, ele continua a projetar crescimento desse setor nos próximos meses. O ministro também acredita numa evolução do mercado de trabalho no setor público, trazendo um quadro diferente do de 2010. Por conta das regras das eleições, enfatizou Lupi, o mercado de trabalho no âmbito federal, estadual e municipal tende a se comprimir. "Vai ser muito bom o resultado a partir de julho", previu.

Mesmo com um número tão robusto no mês passado, o ministro ressaltou que a geração de vagas de trabalho em maio foi o maior da história do Caged, que teve início há 25 anos. O volume de admissões chegou a 1.912.665 no mês passado, enquanto os desligamentos em maio foram de 1.660.598, o segundo maior de todos os meses da série histórica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.