Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Construtoras lançam bairros planejados

Empresas aproveitam últimos grandes terrenos para oferecer empreendimentos que reúnem no mesmo local moradia, trabalho e lazer

Cris Olivette, de O Estado de S. Paulo,

26 de setembro de 2011 | 16h31

A concepção dos projetos de dois bairros planejados em fase de implantação indica que as construtoras estão investindo na qualidade de vida e na sustentabilidade dos empreendimentos. Para evitar grandes deslocamentos, os projetos reúnem numa mesma área espaços para moradia, trabalho e lazer. Esses conceitos estão presentes nos bairros lançados recentemente pelas construtoras Sobloco e Tecnisa, situados em São Caetano do Sul, no ABC, e na Barra Funda, zona oeste da capital, respectivamente.

A Sobloco considera o bairro planejado Espaço Cerâmica como o maior projeto de revitalização urbana realizado no Brasil. Instalado numa área degradada de 300 mil metros quadrados, ocupada no passado pela Cerâmica São Caetano, o novo bairro virou ícone de planejamento urbano e criou oportunidade de expansão para o município. A Iniciativa rendeu à Sobloco o prêmio Master Imobiliário 2011, nas categorias loteamento e soluções urbanísticas. O empreendimento está localizado na Avenida Guido Aliberti, próximo à Avenida Nelson Braido.

O Espaço Cerâmica terá 70% da área construída destinados a empreendimentos comerciais e de serviços, os outros 30% serão de uso residencial, para cerca de 7 mil moradores. O projeto Premier Espaço Cerâmica, criado em parceria pelas construtoras Rossi, Lindencorp e PDG Realty, lançado em dezembro de 2010, comercializou em 48 horas 80% dos 256 apartamentos de 162 ou 198 metros quadrados. Mantendo a mesma parceria, o Reserva Espaço Cerâmica, lançado neste ano, também já foi quase todo comercializado. O projeto de alto padrão terá 192 unidades, com apartamentos de 234 e 304 metros quadrados. Todos com quatro suítes, distribuídos em três torres. Os terrenos comerciais já foram 90% comercializados e o Parkshopping São Caetano, construído pela Multiplan, será lançado no final de outubro.

Uma moderna malha viária foi planejada para que o pedestre seja o ator principal. O projeto preservou áreas verdes para evitar o assoreamento do Ribeirão dos Meninos e facilitar a absorção das águas pluviais. O loteamento conta, ainda, com rede subterrânea de energia elétrica, telefonia e gás.

O diretor da Sobloco, Luiz Augusto Pereira de Almeida, avalia que dentro de dez anos, quando a ocupação estiver concluída, o empreendimento terá gerado investimento superior a R$ 1 bilhão e criado milhares de postos de trabalho. O prefeito de São Caetano, José Auricchio, comemora a iniciativa que levou mais de oito anos para ser implementada. "Para o município é muito importante recuperar esse espaço. Isso significa que vamos retomar a arrecadação fiscal da área, impulsionando a geração de riqueza e de empregos."

Em São Paulo, um outro bairro planejado está sendo implantado pela Tecnisa. O empreendimento encontra-se em fase de execução da infraestrutura, que deve ser concluída até dezembro. "Nosso espaço tem uma área de 250 mil metros quadrados, equivalente a 25 quarteirões. No momento estamos fazendo a terraplanagem, instalação das galerias de águas pluviais, esgoto, telefonia, elétrica, etc", informou o diretor executivo da Tecnisa Fabio Villas Bôas.

O loteamento fica entre as avenidas Marquês de São Vicente, Nicolas Boer e Gustav Willi Borghoff, no bairro da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. Quando estiver concluído, terá 14 ruas internas e duas novas avenidas em seu entorno, planejadas em conjunto com os órgãos públicos. O projeto prevê a construção de cerca de 30 torres, entre residenciais e comerciais, com apartamentos de 90 a 270 metros quadrados, além de um centro de conveniência. O valor geral de venda é estimado em cerca de R$ 4 bilhões.

O empreendimento contempla inúmeros aspectos de sustentabilidade, explica Villas Bôas. "O projeto foi pensado para gerar uma economia substancial ao longo de sua vida útil. As contas de água e luz provavelmente serão muito menores do que as de um prédio comum."

Terminada a fase de infraestrutura o empreendimento precisará obter o Termo de Vistoria de Obras (TVO). "Com ele vamos solicitar o registro da obra e, só então, poderemos começar as construções individuais. Estimamos que isso ocorra no segundo trimestre de 2012."

Tudo o que sabemos sobre:
IMOVEISCONSTRUTORASBAIRROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.