Consumo de eletricidade cresce 4,2% no semestre

O consumo de energia elétrica no Brasil subiu 4,2 por cento no primeiro semestre do ano ante os primeiros seis meses do ano passado, para 223.406 gigawatts-hora (GWh), período em que todos os segmentos de consumo apresentaram forte expansão, com exceção da indústria, cuja demanda aumentou 1,4 por cento.

Reuters

27 de julho de 2012 | 14h07

Em junho, o crescimento do consumo de energia elétrica nacional foi de 3,8 por cento em relação há um ano enquanto que a indústria teve uma retração em todas as regiões do país, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), na Resenha Mensal do Consumo de Energia Elétrica, nesta sexta-feira.

"Após 30 meses de crescimento, o consumo industrial caiu 1,4% em junho ante o mesmo mês do ano anterior. Em termos absolutos, o consumo registrado neste mês é inferior ao de junho de 2010", informou a EPE.

Nos segundo trimestre de 2012, a indústria consumiu 0,4 por cento a mais que há um ano, abaixo do crescimento de 2,4 por cento no primeiro trimestre. "Essa desaceleração reflete a atividade industrial neste ano, confirmada pelos indicadores setoriais recentemente divulgados", informou a EPE.

Por outro lado, as classes residencial e comercial aumentaram a demanda em 5 por cento (residencial) e 7,4 por cento (comercial) no acumulado do ano até junho ante mesmo período do ano passado. Esses segmentos de consumo tiveram ainda crescimento de 8,1 por cento e 9,6 por cento, respectivamente, em junho.

O crescimento do consumo da classe comercial em junho é atribuído ao cenário expansão do crédito, da renda e do emprego, além de festas juninas na região Nordeste --que movimentaram o setor de comércio e serviços, sobreturo os segmentos de alimentação e hospedagem.

Já o crescimento da classe residencial, além de motivado por fatores econômicos, também sofre influência do efeito calendário e temperatura.

(Por Anna Flávia Rochas)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIACONSUMOEPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.