Conta corrente dos EUA tem menor déficit desde 2001

Salgo negativo das transações do país com o exterior soma US$ 101,5 bilhões durante o 1º trimestre deste ano

Nathália Ferreira, da Agência Estado, e Dow Jones,

17 de junho de 2009 | 10h10

O déficit em conta corrente dos Estados Unidos diminuiu para US$ 101,5 bilhões durante o primeiro trimestre deste ano, o que representa o menor saldo negativo de todas as transações do país com o exterior desde o quarto trimestre de 2001, informou nesta quarta-feira, 17, o Departamento do Comércio norte-americano. Economistas esperavam déficit de US$ 85 bilhões.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O dado do quarto trimestre do ano passado foi revisado para um déficit de US$ 154,9 bilhões, de um saldo negativo de US$ 132,8 bilhões. O saldo da conta corrente combina o comércio de bens e serviços, transferências unilaterais e renda de investimentos.

 

O déficit do período entre janeiro e março de 2009 representou 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB), cuja última estimativa apontava US$ 14,09 trilhões para os três meses encerrados em março. Trata-se do menor porcentual do PIB desde o primeiro trimestre de 1999, quando foi de 2,8%. O recorde de alta foi registrado no fim de 2005, de 6,6%. No quarto trimestre de 2008, o déficit de US$ 154,9 bilhões representou 4,4% de um PIB de US$ 14,2 trilhões.

 

Boa parte do saldo da conta corrente é constituído pelo comércio de bens e serviços. Esse comércio registrou déficit de US$ 91,2 bilhões no primeiro trimestre deste ano, abaixo do saldo negativo revisado de US$ 144,5 bilhões no quarto trimestre do ano passado. O déficit originalmente estimado para o quarto trimestre de 2008 era de US$ 140,4 bilhões.

 

No primeiro trimestre de 2009, as importações caíram para US$ 373,4 bilhões, de US$ 469,4 bilhões. As exportações recuaram para US$ 249,4 bilhões, de US$ 290,6 bilhões. Enquanto o comércio de produtos teve déficit, o de serviços registrou superávit de US$ 32,8 bilhões no período, de US$ 34,3 bilhões no trimestre imediatamente anterior.

 

O déficit de US$ 29,6 bilhões nas transferências unilaterais também contribuiu para o déficit em conta corrente. No quarto trimestre de 2008, o déficit foi de US$ 31,5 bilhões. Já a renda de investimentos registrou superávit de US$ 19,3 bilhões no primeiro trimestre de 2009, ante superávit de US$ 21,1 bilhões no quarto trimestre de 2008.

 

IED

 

O investimento estrangeiro direto (IED) nos EUA aumentou US$ 35,3 bilhões no primeiro trimestre deste ano, após alta de US$ 96,8 bilhões no quarto trimestre do ano passado, informou o Departamento do Comércio. "A desaceleração refletiu principalmente a desaceleração no investimento líquido em capital acionário nos EUA e, em proporção menor, a mudança nos lucros reinvestidos de positivo para negativo", disse o departamento.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiraEUAcontas externas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.