Contrato novo de aluguel acumula alta de 14,57% em 12 meses

Segundo o Secovi-SP, em relação a dezembro, os novos contratos subiram 1,2% no mês passado

Agência Estado,

23 de fevereiro de 2011 | 11h23

Os novos contratos de aluguel de residências na cidade de São Paulo registraram alta média de 14,57% no acumulado em 12 meses até janeiro, de acordo com a Pesquisa Mensal de Locação Residencial realizada pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). Em relação a dezembro, os novos contratos subiram 1,2% no mês passado.

Em nota, a entidade avalia que o fato de o aumento mensal ter sido inferior às altas de dezembro (1,9%) e novembro (1,6%) sinaliza para uma possível estabilização dos preços nos próximos meses.

No mês passado, as unidades de um dormitório registraram a maior alta, de 1,5%, enquanto o de imóveis de dois quartos ficou dentro da média do período (1,2%). Os imóveis de três dormitórios, por sua vez, informaram a menor variação, de 0,5%.

A modalidade de garantia mais utilizada no período foi o fiador (50%). O depósito de até três meses participou com 30% e o seguro-fiança com 20%, de acordo com a pesquisa.

Casas e sobrados foram alugados mais rapidamente que apartamentos, com um Índice de Velocidade de Locação (IVL) de 12 a 29 dias. No caso dos apartamentos, o índice oscilou de 18 a 38 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
imóvelSecovi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.