Controladora da Cia. Iguaçu de Café lança edital para tirar empresa da bolsa

Comissão de Valores Mobiliários autorizou a operação em agosto, após a Iguaçu ter informado a intenção de retirar empresa da bolsa

Priscila Jordão, Reuters

11 de agosto de 2014 | 09h55

A Cia. Iguaçu de Café Solúvel publicou edital de oferta pública de aquisição de ações (OPA) para que a MBC Europe Limited, subsidiária de sua controladora direta Marubeni Corporation, adquirira a totalidade de suas ações ordinárias e preferenciais em circulação.

No âmbito da oferta, a MBC oferecerá 8,29 reais por ação para o cancelamento do registro de companhia aberta e saída da Cia. Iguaçu da bolsa de valores. O preço ainda deve ser atualizado pela companhia antes do leilão da OPA de cancelamento.

O valor é 11,88 por cento superior ao preço de fechamento da ação ordinária da Iguaçu em 31 de julho, último pregão em que houve negociação do papel.

Na comparação com a ação preferencial classe A, que teve seu último negócio em 7 de agosto, o prêmio é de 11,28 por cento e, com a ação classe B, negociada pela última vez em 6 de agosto, de 14 por cento.

A OPA de cancelamento de registro será válida por 30 dias, a partir desta segunda-feira até 10 de setembro, quando será realizado leilão na BM&FBovespa.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou a operação em 7 de agosto, após a Iguaçu ter informado em abril que a Marubeni tinha intenção de tirar a companhia da bolsa.

A Marubeni afirmou que considerou apropriado lançar a OPA uma vez que a companhia não buscou recursos junto ao mercado financeiro nos últimos anos, afirmando ainda que os papéis não possuem liquidez e dispersão acionária.

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASIGUACUOPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.