Controladores da Usiminas negam negociação para vender companhia

Os controladores da Usiminas, maior produtora de aços planos do país, negaram na quarta-feira que estivessem em negociações para vender suas participações na companhia.

REUTERS

27 de abril de 2011 | 21h59

Os principais acionistas da siderúrgica --Nippon Steel, Mitsubishi, Votorantim, Camargo Corrêa e Caixa dos Empregados-- enviaram o esclarecimento ao mercado depois do recente aumento da fatia da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) no capital da Usiminas e de rumores sobre o interesse da Gerdau pela companhia.

A Nippon Steel disse que não tem "conhecimento de nenhum fato que, de acordo com a legislação aplicável ao mercado de capitais, devesse ser divulgada ao mercado."

Em declaração conjunta, Votorantim e Camargo Corrêa afirmaram que "não existe qualquer proposta em aberto ou processo de alienação em curso."

A Mitsubishi declarou não ter informações sobre "possível participação acionária da Gerdau e Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) no capital da Usiminas".

Já a Caixa dos Empregados disse não ser "parte de qualquer contrato ou pré-contrato que tenha por objeto a alienação das ações de emissão da Usiminas por ela detidas, o que, por óbvio, inclui qualquer contrato ou pré-contrato com qualquer daquelas companhias."

Em fevereiro, os acionistas majoritários decidiram travar o grupo de controle da empresa pelos próximos 20 anos, com possibilidade de renovação. Juntos, eles possuem participação de 53,7 por cento do capital votante da Usiminas.

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAUSIMINASNEGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.