Copa deve puxar inflação de serviços de turismo, principalmente passagem aérea

No IPC da terceira quadrissemana de março, as passagens aéreas avançaram 4,89%, figurando no ranking das maiores influências de alta do IPC de 0,76%

Denise Abarca, da Agência Estado,

27 de março de 2014 | 11h16

SÃO PAULO - Quando perguntado sobre quais são os itens mais suscetíveis às pressões inflacionárias em razão da realização da Copa do Mundo no Brasil, entre junho e julho, o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Rafael Costa Lima, não titubeou ao responder: passagens aéreas. "A Copa vai puxar ainda mais os preços das passagens", disse. No IPC da terceira quadrissemana de março, as passagens aéreas avançaram 4,89%, figurando no ranking das maiores influências de alta do IPC de 0,76%. E, na avaliação da Fipe, continuarão pressionadas nos próximos meses.

As tarifas de avião devem ser um dos preços mais afetados durante o período de realização do Mundial, mas Costa Lima afirmou que todos os preços de serviços relacionados ao turismo tendem a subir, como diárias de hotéis, pacotes de viagens e alimentação fora do domicílio, principalmente nas cidades que receberão os jogos.

Questionado sobre se o evento também não puxaria para cima os preços de aparelhos eletroeletrônicos, principalmente televisores, Costa Lima explicou que há uma certa dificuldade em se mensurar a inflação destes produtos em períodos como este. "Nesta época, há muitos lançamentos de televisores, o que torna difícil a comparação de preços entre os modelos. Mas os preços dos modelos já existentes tendem a cair", disse, acrescentando que esta queda reflete a transferência de demanda para os modelos novos. 

Tudo o que sabemos sobre:
inglaçãoCopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.