Teorias da conspiração sobre a Copa tentam 'explicar o inexplicável'

Redes sociais ficaram congestionadas desde a goleada do Brasil contra a Alemanha com ilações sobre o que teria levado a seleção brasileira a enfrentar tamanho vexame

Cley Scholz, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2014 | 16h40

SÃO PAULO - A histórica derrota da seleção brasileira para a Alemanha desencadeou uma onda de mensagens na internet buscando explicações mirabolantes para a goleada de 7 a 1.

Como o resultado foi muito diferente do que a maior parte dos torcedores do mundo inteiro esperava, muitos acabam acreditando e repassando as mensagens com as teorias da conspiração.

Todas as falsas explicações são criadas como forma de protesto ou brincadeira para tentar explicar o que o goleiro brasileiro Julio Cesar classificou logo após o vexame de 'inexplicável'.

A maior parte das 'explicações' vem acompanhadas de frases como  “se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa, ficariam enojadas”.

No Facebook, muitos acreditam nas mensagens ou simplesmente repassam como uma forma de protesto, especialmente quando elas surgem acompanhadas de imagens, como a que mostra o craque Neymar entrando no hospital sem as suas conhecidas tatuagens no braço, o que reforçaria a tese de que se tratava de um sósia do jogador.

Para dar mais credibilidade às criativas teorias, os autores atribuem como fonte algum site norte-americano ou europeu.

Um dos textos mais repassados traz a assinatura de Gunther Schwitzer, "diretor da ESPN", e afirma que Neymar ficou fora do torneio por não concordar com a conspiração e fingiu uma lesão. David Luiz também teria se negado a participar, mas foi orientado por Parreira e Murtosa.

Também há textos relacionando a benevolência da arbitragem com as faltas contra Neymar e o silêncio da Fifa sobre uma punição ao colombiano Zuñiga, que atingiu o craque brasileiro, como sinais de que tudo seria uma grande armação.

Confira abaixo algumas das principais teorias para explicar o 'inexplicável':

- O Brasil vendeu a Copa para a Fifa em troca do título olímpico em 2016 e de um novo Mundial no país até 2030.

- Neymar não teria sofrido uma lesão de verdade. Tudo seria uma armação. Tanto é a tatuagem não aparecia em seu braço quando ele entrou no hospital. Era um sósia.

- Os jogadores da seleção brasileira receberam US$ 70 mil para entregar o jogo. Tudo foi acertado horas antes da partida.

- Neymar simulou a lesão, pois foi o único que não concordou em vender a Copa à Fifa. David Luiz também não queria, mas foi convencido por Felipão e Murtosa.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.