Copa não elevou procura por bilhetes da Gol, diz empresa

O ritmo de demanda de bilhetes aéreos para o período da Copa na Gol está similar ao que a companhia teria sem a competição, disse nesta quinta-feira, 15, o presidente Paulo Sérgio Kakinoff. Ele salientou, porém, que essa sensibilidade considera a adaptação da malha aérea ao mundial. Segundo o executivo, a demanda tem aumentado consideravelmente nas rotas que serão mais utilizadas pelos passageiros.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

15 de maio de 2014 | 11h57

Kakinoff negou que a companhia estivesse fazendo ações promocionais por causa de uma demanda abaixo do esperado. "Não fizemos nenhuma variação do nosso tarifário, nenhuma ação promocional, para o período da Copa, e estamos vendo a performance crescer no período normal", afirmou. Segundo ele, se não houvesse malha adaptada, haveria pressão de preços nos trechos mais demandados.

Segundo ele, ainda não é possível estimar qual será o impacto da Copa na demanda da companhia, embora se saiba que a demanda deve ser menor durante o Mundial, com redução do número de passageiros que viajam a negócios. "Só haverá maior clareza à medida que se aproximem os jogos", disse. Ele revelou, porém, que se trabalha com cenários de que a antecipação da demanda no início será neutralizada pela queda da demanda, ou que o efeito acumulado no primeiro semestre será marginalmente positivo. )

Tudo o que sabemos sobre:
GoldemandaCopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.