Copom pode manter taxa Selic estável ao longo de 2008

Para economista-chefe do ABN Amro Real, o preço do dólar é a variável-chave para juro no futuro

Luciana Xavier e Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

25 de outubro de 2007 | 13h35

O otimismo parcial de alguns analistas de retomada do processo de corte da taxa Selic já no primeiro semestre do ano que vem não é compartilhado pela economista-chefe do banco ABN Amro Real, Zeina Latif. Na opinião dela, a pausa no processo de afrouxamento monetário não será curta. "O Copom pode muito bem não mexer na Selic durante todo o ano de 2008", afirmou em entrevista ao AE Broadcast Ao Vivo. Ao mesmo tempo, não descarta a hipótese de retomada de um processo de restrição monetária. "Estamos longe de um quadro de aumento de juros no Brasil", avaliou.   Ouça perspectivas do ABN para câmbio e juros  Áudios da Agência Estado analisam tendências de economia e política Agência Estado comemora a marca de mil entrevistas Ouça avaliação sobre alta do calote no varejo  Ricardo Amorim inaugura o serviço em agosto de 2002  Ouça entrevistas selecionadas por nossos editores  Conheça a história da Agência Estado  Veja como as entrevistas são produzidas AE Broadcast é base para tomada de decisão AE responde à popularização do mercado Tecnologia robusta garante rapidez, precisão e transparência na divulgação de 40 mil cotações   Segundo a economista, a natural a atual falta de pistas sobre as próximas decisões do Copom. "O BC nem teria como dar dicas na ata sobre os próximos passos. O quadro (internacional) ainda é de incertezas", comentou.   Zeina ressaltou que, justamente pelas incertezas no cenário externo, a variável-chave a ser considerada será o comportamento do preço do dólar. Para ela, o dólar deve encerrar o ano que vem cotado entre R$ 1,80 e R$ 2,00.

Tudo o que sabemos sobre:
AE BroadcastABNSelicdólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.