Copom prevê alta de 5% da gasolina e 2,5% no gás em 2013

A estimativa da autoridade monetária aponta também para um recuo de aproximadamente 16% na tarifa residencial de eletricidade 

Célia Fourfe e Eduardo Cucolo, Agência Estado

17 de outubro de 2013 | 09h36

A ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira, 17, pelo Banco Central, reduziu sua estimativa para a alta dos preços monitorados e administrados de 2013, apesar de ter mantido as estimativas para todas as variáveis abertas pela instituição no documento. Conforme a ata, a elevação desse conjunto de preços ao final do ano será de 1,5%, e não mais de 1,8%, conforme era esperado até o documento anterior, divulgado no início de setembro.

Conforme o BC, a projeção de reajuste no preço da gasolina para o acumulado de 2013 foi mantida em 5%. A estimativa da autoridade monetária aponta também para um recuo de aproximadamente 16% na tarifa residencial de eletricidade, mesmo valor considerado na reunião do Copom de agosto. Essa estimativa, conforme o documento, leva em conta os impactos diretos das reduções de encargos setoriais anunciadas e os reajustes e as revisões tarifárias programados para este ano.

O BC estima também um aumento de 2,5% no preço do gás de botijão e a redução de 1,0% na tarifa de telefonia fixa para 2013, mesmos valores considerados na reunião do Copom de agosto. Para 2014, no entanto, foi mantida a expectativa de alta de 4,5% para o conjunto dos preços administrados por contrato e monitorados.

Tudo o que sabemos sobre:
ataCopomgasolinagás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.