Coreanos fazem oferta hostil de US$2,6 bi por Dana

A estatal sul-coreana Korea National Oil Corp (KNOC) fez uma oferta hostil em dinheiro de 1,67 bilhão de libras (2,6 bilhões de dólares) pela britânica Dana Petroleum Plc nesta sexta-feira, destacando a intenção da Coreia do Sul de assegurar ativos de energia em outro continente.

MIYOUNG KIM E MATT SCUFFHAM, REUTERS

20 de agosto de 2010 | 14h49

Seul deu à KNOC um aporte de 6,5 bilhões de dólares este ano para competir com outras estatais asiáticas, com o objetivo de garantir futuros fornecimentos para sua economia em crescimento.

A maior oferta hostil feita por uma empresa coreana ocorre depois da administração da Dana ter rejeitado no início do mês uma oferta de KNOC de 18 libras por ação da empresa.

A KNOC afirma já ter intenção declarada em carta de investidores representando 48,6 por cento das ações da Dana, sugerindo que não haverá obstáculos.

A oferta de 18 libras por ação representa um prêmio de 59 por cento sobre o preço de fechamento das ações da Dana em 30 de junho, um dia antes da KNOC realizar sua primeira tentativa.

A KNOC ofereceu 1,67 bilhões de libras em dinheiro à Dana e compra de bônus conversíveis, totalizando assim 2,6 bilhões de dólares na proposta.

"Isso mostra a vontade do governo sul-coreano, que vem tentando elevar sua presença nos mercados globais de matérias primas e nós consideramos isso positivo", disse Sean Hwang, chefe da equipe de pesquisa na Mirae Asset Securities, antes da KNOC confirmar sua oferta.

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAKNOCDANAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.