Coreia, Taiwan e África do Sul cortam importações de petróleo do Irã

A Coreia do Sul reduziu suas importações de petróleo iraniano nos dois primeiros meses de 2012, juntando-se à Taiwan e à África do Sul em um grupo crescente de compradores se curvando à pressão internacional sobre a república Islâmica.

MEEYOUNG CHO E JEANNY KAO, REUTERS

22 de março de 2012 | 16h14

Um quarteto de China, Índia, Japão e Coreia do Sul são os quatro maiores compradores de petróleo iraniano na Ásia e fizeram cortes nas importações ou se comprometeram a fazê-lo. O Irã vende a maior parte de seus 2,6 milhões de barris por dia (bpd) de exportações à Ásia.

Os Estados Unidos isentaram na terça-feira o Japão e 10 países da UE das sanções financeiras por terem reduzido significativamente as compras de petróleo iraniano, mas deixaram de fora a Coreia do Sul e os maiores clientes do Irã: China e Índia.

Refinarias de petróleo da Índia devem cortar as importações de petróleo iraniano em abril, em linha com as reduções que garantiram a isenção do Japão.

Eles pretendem pagar em rúpias, mas o fracasso de uma delegação de traders indianos no Irã, para conquistar os negócios de commodities, levantaram questões sobre a viabilidade de um mecanismo para pagar 45 por cento das importações de petróleo em rúpias e aumentar as exportações para reduzir o desequilíbrio comercial.

Refinarias na Coreia do Sul estavam cortando as importações para garantir que o governo pudesse pedir aos EUA uma renúncia às sanções, disse uma fonte do ministério sul-coreano da economia, nesta quinta-feira.

"A Coreia do Sul está cooperando em nível fundamental com os EUA no que se refere às importações de petróleo iraniano", disse a fonte. "Eu acho que as refinarias estão fazendo esforços para ajudar a Coréia do Sul a receber uma isenção dos Estados Unidos."

O quinto maior importador de petróleo do mundo, a Coreia do Sul, comprou 15 por cento menos petróleo iraniano nos dois primeiros meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2011, ainda que as importações gerais de petróleo tenham aumentado 3,4 por cento no ano.

As importações de petróleo do Irã caíram para 12,9 milhões de barris, ou 215.483 barris por dia (bpd), em janeiro e fevereiro ante 15,04 milhões de barris, ou 254.831 barris diários, um ano antes, disse a estatal Korea National Oil Corp (Knoc) nesta quinta-feira.

(Reportagem adicional de Eunhye Shin e Lee Shinhyung, Jon Herskovitz, em Pretória,; Dutta Ratnajyoti e Bhardwaj Mayank em Nova Dhéli e Coskun Orhan em Ancara)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROLEOIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.