Corpo de Joelmir Beting é velado em São Paulo

Para o governador de SP, Geraldo Alckmin, jornalista ‘pensava e traduzia a economia para todos os brasileiros’

estadão.com.br,

29 de novembro de 2012 | 11h21

SÃO PAULO - O corpo do jornalista Joelmir Beting, que faleceu na madrugada desta quinta-feira, 29, é velado até às 14 horas no Cemitério do Morumbi, em São Paulo. Às 16 horas, será cremado, em cerimônia restrita à família.

Algumas autoridades, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foram ao local prestar homenagem ao jornalista. Em nota, o governador afirmou que Beting "pensava e traduzia a economia para todos os brasileiros com facilidade, mostrava o impacto de medidas complexas de maneira simples e direta na vida das pessoas".

A prefeitura soltou uma nota à imprensa, assinada pelo prefeito Gilberto Kassab, na qual afirmou que "Joelmir Beting foi um dos grandes responsáveis pelas transformações positivas do jornalismo brasileiro nas últimas décadas". A nota lembrou que seu estilo, considerado didático, traduziu a economia para os leigos, marca também de sua cobertura na política.

Ele faleceu na madrugada de hoje, à 1 hora, aos 75 anos, após sofrer um Acidente Vascular Encefálico Hemorrágico. Desde o dia 22 de outubro, o jornalista estava internado no Hospital Albert Einstein para o tratamento de uma doença autoimune. 

Joelmir Beting trabalhava como comentarista econômico na do Jornal da Band, na TV Bandeirantes e nas rádios Bandnews FM e Rádio Bandeirantes e era também um dos  âncoras do programa de entrevistas Canal Livre. O jornalista era casado com Lucila, desde 1963, e era pai de dois filhos: Gianfranco, publicitário e webmaster, e Mauro, comentarista esportivo de jornal e televisão.

Veja a repercussão da morte de Joelmir Beting nas redes sociais:

Tudo o que sabemos sobre:
joelmir beting

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.