Correção: Chevron quer retomar campo de Frade

A nota enviada anteriormente continha uma incorreção. A agência Dow Jones corrigiu que a produção no campo de Frade deve atingir 5 mil barris de petróleo por dia até o fim do ano, e não no fim do segundo trimestre, como havia sido divulgado. Segue o texto corrigido.

Agencia Estado

26 de abril de 2013 | 14h53

A petroleira norte-americana Chevron anunciou nesta sexta-feira, 26, que planeja retomar a produção em quatro poços no Campo de Frade, na Bacia de Campos, "lentamente", após a extração ter sido interrompida depois do vazamento registrado em março de 2012. A meta é elevar o volume produzido para 5 mil barris de petróleo por dia até o fim do ano, de acordo com a diretora financeira da empresa, Patricia Yarrington.

Por conta do derramamento de óleo, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) multou a Chevron em R$ 50 milhões, mas a companhia recebeu um desconto de 30% por não entrar com recurso, desembolsando R$ 35 milhões em setembro. A ANP liberou a documentação de segurança operacional para a plataforma da Chevron no Campo de Frade no dia 14. Antes do vazamento, o campo produzia cerca de 60 mil barris de petróleo por dia.

A petroleira norte-americana tem 51,74% de participação em Frade. Os outros parceiros são a Petrobras (30%) e a Frade Japão Petróleo Ltda, uma joint venture entre a Inpex Holdings Inc., Sojitz e Jogmec (18,26%). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChevronproduçãoCampo de Frade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.