Corte na oferta de voos deve continuar, prevê Abear

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) prevê que a política de redução na oferta de voos por parte das companhias filiadas vai continuar em 2013, embora com menor intensidade deste processo. Para o presidente da entidade, Eduardo Sanovicz, o corte na oferta de voos precisa ocorrer para que as empresas consigam se adequar aos aumentos de custos nas suas operações, especialmente em relação aos reajustes no preço do combustível aéreo. "A retração na oferta é necessária para equacionar os custos do setor, mas a tendência é que este processo sofra uma estabilização a partir de agora", disse, durante coletiva de imprensa da Abear para divulgação dos dados de outubro do setor aéreo.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

22 de novembro de 2012 | 12h01

O presidente da entidade afirmou que, para o ano que vem, não estão sendo previstos grandes planos para aumento de frota das seis companhias filiadas à Abear - TAM, Gol, Azul, Avianca, Trip e Webjet. Segundo a associação, existe, atualmente, uma capacidade ociosa nas aeronaves de, em média, 20%.

Sanovicz disse, ainda, que vê um processo de recomposição dos preços das tarifas no médio e no longo prazos. "Mas não acredito em reajustes exagerados por conta da alta concorrência no setor", afirmou. Ele alertou, porém, que um aumento de 1% na tarifa proporciona uma queda de 1,4% na demanda pelo transporte aéreo, conforme estudo da consultoria Bain.

Tudo o que sabemos sobre:
setor aéreodadosAbear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.