Cortes de gastos na Grécia serão finalizados em agosto, diz fonte

Medidas de austeridade obrigam cortes de 11,5 bilhões de euros como compromisso para resgate

Andréia Lago, da Agência Estado ,

31 de julho de 2012 | 14h53

ATENAS - A Grécia espera finalizar no começo de agosto os cortes de gastos no valor de 11,5 bilhões de euros (US$ 14,1 bilhões) necessários como parte dos compromissos do país com o programa de resgate externo, a despeito dos pontos divergentes em relação ao prazo de implementação das medidas de austeridade entre os partidos que compõem a coalizão de governo, segundo fontes oficiais.

Representantes dos três partidos que formam a coalizão de governo - Nova Democracia, Partido Socialista (Pasok) e Esquerda Democrática - vêm se debatendo para chegar a um consenso sobre a combinação correta de austeridade a ser implementada no país a partir das demandas dos credores internacionais da Grécia.

Uma autoridade sênior do governo grego disse nesta terça-feira que está otimista que haverá um acordo final em breve a fim de manter as linhas de financiamento externo abertas para a Grécia, que enfrenta o risco de ficar sem recursos em caixa até meados de agosto.

"É necessário cortar 11,5 bilhões de euros, uma vez que isso é uma pré-condição para continuar com o programa de financiamento", disse uma autoridade do governo. "Atenas irá cumprir seus compromissos", completou.

Segundo a fonte, os líderes dos três partidos da coalizão "concordam sobre as medidas", que "espera-se que sejam finalizadas até a primeira quinzena de agosto, talvez até mesmo na primeira semana". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GRÉCIACRISEAUSTERIDADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.