Cosan acerta com Rezende Barbosa incorporação da Nova América

O grupo Cosan anunciou no final da noite de quinta-feira a incorporação da Nova América Agroenergia em uma operação que fará com que a holding Rezende Barbosa torne-se uma das principais acionistas de uma das maiores produtoras de açúcar e álcool do Brasil, com participação de 11 por cento.

REUTERS

13 de março de 2009 | 07h57

Memorando de entendimentos acertado entre a Cosan e a Rezende Barbosa estabelece uma reorganização societária que fará com que a Cosan eleve sua capacidade de moagem de cana-de-açúcar em 10,6 milhões de toneladas para a safra 2009/2010. Com isso, a capacidade de moagem da Cosan vai pular para 60 milhões de toneladas entre 23 unidades produtivas, segundo comunicado.

Com a incorporação, a Cosan vai assumir passivo financeiro da Nova América, dona da marca de açúcar "União", que incluindo financiamentos do BNDES soma 1,145 bilhão de reais.

A Cosan informou estar em fase final de repactuação com os principais bancos credores da Nova América, para estender prazo do atual endividamento para cinco anos, através de linhas de pré-pagamento de exportação, em troca da substituição das garantias prestadas pela Rezende Barbosa. Segundo o memorando de entendimentos, esta substituição de garantias é condição necessária para a conclusão da incorporação.

Os ativos da Nova América incluem, além de quatro unidades produtoras de açúcar e álcool e da marca União, duas refinarias de açúcar, quatro empacotadoras de açúcar, e 51 por cento do Teaçu Armazéns Gerais. O acordo também envolve participação de 8 por cento no Terminal Exportador de Álcool de Santos.

(Por Alberto Alerigi Jr.; Edição de Vanessa Stelzer)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIACOSANNOVAMAERICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.