Couro: produtores podem ganhar programa de qualidade

Brasília, 26 - O Ministério da Fazenda vai analisar a possibilidade de reverter os recursos arrecadados com o imposto de exportação do couro "wet blue" para um programa de qualidade voltado para os produtores. A proposta foi apresentada ao ministro Antonio Palocci, durante reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex). A idéia é defendida pelo Ministério da Agricultura. Atualmente, a exportação do couro "wet blue" é taxada em 7%, e deve cair para 4%, a partir de 2005. Segundo o secretário-executivo da Camex, Mário Mugnaini, a qualidade do couro brasileiro é ruim. "O Brasil tem muita perda no couro porque ainda é considerado marginal no gado. Teríamos que agregar valor na criação", disse. Ele diz que para melhorar a qualidade do couro nacional poderiam ser trocadas as cercas de arame farpado, nas quais os animais se prendem, danificando o couro, e até mesmo programas de vacinação contra o carrapato, que também prejudica o produto. A briga entre produtores e consumidores é antiga. O setores consumidores dizem que o imposto é necessário para garantir que não haja desvio da produção de couro para o mercado externo. Os produtores de couro se dizem penalizados com a taxação. O governo estabeleceu um cronograma de redução da alíquota, antes em 9% do valor exportado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.