Coutinho evita falar de exposição do BNDES na EBX

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, evitou declarações sobre a exposição do banco de fomento às empresas do grupo EBX, de Eike Batista. Em evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta quinta-feira, Coutinho respondeu a jornalistas: "Não vou fazer comentários específicos, porque a sensibilidade do mercado é muito grande".

DAYANNE SOUSA, BEATRIZ BULLA E RENAN CARREIRA, Agencia Estado

11 de abril de 2013 | 17h41

Coutinho também não respondeu se a BNDESPar, empresa de participações do BNDES, pretende participar do aumento de capital da MPX, única das empresas de Eike com parcela direta do banco no capital social. Uma oferta pública da empresa deve acontecer em junho e a ausência da BNDESPar resultaria em diluição da fatia no capital da empresa, que hoje é de 10,34%.

O BNDES é ainda um apoiador de diferentes projetos do grupo X. Balanços das companhias de capital aberto do grupo apontam que o banco de fomento tem exposição, somente em financiamentos, de R$ 4,5 bilhões no grupo de Eike.

Tudo o que sabemos sobre:
BNDESCoutinhoEBX

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.