CPFL Renováveis levanta cerca de R$ 1 bi em IPO

Depois de uma tentativa frustrada em outubro do ano passado, a CPFL Renováveis conseguiu enfim concretizar sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Ontem, 17, a empresa concluiu a captação, que pode chegar a R$ 1,03 bilhão se todos os lotes forem exercidos. Confirmando as expectativas do mercado, o preço dos papéis ficou em R$ 12,51 - o valor mais baixo da faixa de preços proposta inicialmente, que ia até R$ 15,01.

GABRIELA FORLIN, Agencia Estado

18 de julho de 2013 | 09h33

A empresa deve estrear na BM&FBovespa amanhã, 19, e as ações serão negociadas no Novo Mercado, o nível mais alto de governança corporativa da Bolsa.

O IPO contou com uma ordem de compra de R$ 400 milhões do fundo de pensão Previ e com uma garantia firme de colocação do BTG Pactual, que poderia chegar aos R$ 500 milhões, com o papel precificado a R$ 12,51. Em função do cenário macroeconômico nacional e internacional, volatilidade dos mercados e a falta de apetite dos investidores brasileiros e estrangeiros pela Bolsa, já era esperado que a operação saísse por conta das garantias oferecidas.

Baixa demanda. ?Não estamos vendo um apetite muito grande. O preço justo seria em torno de R$ 14,85?, diz uma fonte do mercado. ?É uma questão de demanda, e não de fundamentos, pois o negócio tem potencial. É uma empresa que está num segmento que tem como característica gerar bons dividendos, e é uma boa oportunidade de longo prazo?, avalia.

Para analistas do setor, dificilmente a operação iria até o final, neste momento, se não fossem as garantias. Ainda assim, eles acreditam que o lote suplementar poderá até ser exercido, justamente porque o BTG deve ficar com mais da metade do lote principal para aproveitar a oportunidade.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
CPFL RenováveisIPO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.