Crédito ao consumidor dá sinais claros de desaceleração, diz consultoria

Segundo a LCA consultores, sem a sazonalização, a concessão de crédito teve crescimento de 0,3% em setembro ante agosto; já em agosto sobre julho, expansão havia sido de 0,4%

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

26 de outubro de 2011 | 16h19

O crédito para pessoas físicas, direcionado para o consumo, dá sinais claros de desaceleração, segundo os analistas da LCA Consultores. Ao dessazonalizar os dados de setembro, divulgados nesta quarta-feira, 26, pelo Banco Central (BC), a consultoria chegou a um crescimento de 0,3% na concessão de crédito para o consumidor em setembro na comparação com agosto. Em agosto sobre julho, a expansão havia sido de 0,4%, sendo que o avanço médio mensal de janeiro a julho foi de 1,1%.

"Antes das medidas macroprudenciais introduzidas pelo BC em dezembro de 2010, o ritmo médio de expansão das concessões era de 1,6% ao mês, na média de janeiro a novembro de 2010", afirmam os economistas da LCA Consultores.

De acordo com eles, quando se excluem as operações de cheque especial e cartão de crédito, linhas mais emergenciais e caras, que têm impacto menor sobre a demanda agregada, a variação em setembro foi menor, de 0,2% sobre agosto.

Paralelamente à desaceleração da concessão de crédito para pessoas físicas no mês passado, a inadimplência ficou estável em setembro na comparação com agosto, mas com uma elevação de 0,8 ponto porcentual acima da taxa observada no mesmo período do ano passado. "Os atrasos de 15 a 90 dias subiram 6,2% da carteira para 6,4%" em setembro ante agosto, dizem os economistas da LCA Consultores.

Tudo o que sabemos sobre:
créditopessoa físicadesaceleração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.