Crédito ao consumidor no Reino Unido sobe US$ 397,6 mi em jullho

Aprovação de hipotecas, um indicador importante da atividade no mercado imobiliário, aumentou levemente para 48.722 em julho

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

31 de agosto de 2010 | 09h11

O crédito ao consumidor do Reino Unido aumentou a uma taxa menor em julho, uma vez que os empréstimos hipotecários permaneceram moderados, de acordo com dados divulgados pelo banco central britânico (BOE, na sigla em inglês).

O empréstimo líquido para indivíduos subiu em 258 milhões de libras (US$ 397,6 milhões) em julho, na comparação com o aumento de 460 milhões de libras (US$ 708,5 milhões) em junho, em dados revisados.

O crescimento do empréstimo hipotecário líquido desacelerou para 86 milhões de libras (US$ 132,5 milhões) em julho, dos 518 milhões de libras em junho, em dados revisados. O resultado marcou o nível mais baixo desde março, quando o empréstimo hipotecário líquido cresceu em 40 milhões de libras. Os economistas entrevistados pela Dow Jones tinham previsto uma leitura de 700 milhões de libras.

A aprovação de hipotecas, um indicador importante da atividade no mercado imobiliário, aumentou levemente para 48.722 em julho, na comparação com 48.562 em junho, em dados revisados. O resultado superou os 47 mil esperados pelos economistas, mas permanece bem abaixo dos níveis do ano passado.

O crédito ao consumidor aumentou em 173 milhões de libras (US$ 266,6 milhões) em julho, depois de recuar 59 milhões no mês anterior.

As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.