Crédito cresce 20% em 12 meses, diz BC

O estoque de crédito do sistema financeiro totalizou R$ 1,752 trilhão em março, com crescimento de 1% sobre o mês anterior

Edna Simão e Fabio Graner, da Agência Estado,

27 de abril de 2011 | 11h07

O estoque de crédito do sistema financeiro totalizou R$ 1,752 trilhão em março, com crescimento de 1% sobre o mês anterior, o que corresponde a 46,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central (BC). Em fevereiro, esse estoque correspondia a R$ 1,734 trilhão ou 46,4% do PIB. Em 12 meses, as operações de crédito tiveram um crescimento de 20,7%.

Considerando apenas as operações de crédito livre, elas somaram R$ 1,145 trilhão (30,3% do PIB), o que representou um aumento de 1,1% em relação a fevereiro, quando essas transações totalizaram R$ 1,133 trilhão (30,3% do PIB). Já o crédito direcionado, por sua vez, somou R$ 606,865 bilhões (16,1% do PIB), o que corresponde a uma expansão de 1% ante fevereiro (R$ 601,587 bilhões - 16,1% do PIB).

Segundo os dados do BC, do estoque de crédito que foi de 46,4% do PIB em março, 19,5% do PIB foram disponibilizados pelas instituições públicas, 18,9% do PIB por bancos privados e 8% do PIB por instituições estrangeiras.

O chefe do departamento econômico do Banco Central, Túlio Maciel, informou há pouco que o estoque de crédito livre cresceu 1,2% em abril até o último dia 12, em comparação com a posição do estoque do dia 12 de março. O estoque para pessoa física subiu na mesma comparação 1,3% e para pessoa jurídica, 1,1%, de acordo com os dados parciais de abril.

A média diária das concessões do crédito livre, no entanto, registrou queda de 6,9% nos oito primeiros dias úteis de abril, em comparação com igual período do mês passado. A média das concessões para pessoa física recuou 5,4% na mesma comparação, enquanto para pessoa jurídica, caiu 8%.

A taxa de juros média do crédito livre subiu 1 ponto porcentual até o dia 12 de abril, em comparação com o fechamento de março, atingindo 40,1% ao ano. A taxa para pessoa física teve alta de 2,1 pontos porcentuais, para 47,1%, enquanto para pessoa jurídica ficou estável em 31,3%.

O spread médio do crédito livre também teve alta de 1 ponto porcentual, para 27,8 pontos porcentuais. O spread para pessoa física subiu 2,1 pontos porcentuais, para 34,5 pontos porcentuais, enquanto para pessoa jurídica ficou estável em 19,6 pontos porcentuais.

Média diária

A média diária das concessões de crédito livre cresceu 3,5% em março ante fevereiro. O movimento foi puxado pelo aumento na média de concessões para pessoa jurídica, que teve alta de 5,5% no mês. A média de concessões para pessoa física subiu 0,7% no mês.

No primeiro trimestre, a média de concessões do crédito livre cresceu 4%, mas liderado pelos empréstimos às famílias, que subiram 8,8% no período, enquanto o crédito para as empresas teve alta de apenas 1% no período.

As concessões acumuladas do crédito livre no mês de março tiveram alta de 8,7% ante fevereiro, com o segmento pessoa física registrando elevação de 5,7% e o pessoa jurídica, de 10,7%. No trimestre, as concessões acumuladas registram queda de 5,1%, com recuo de 0,7% no crédito às famílias e queda de 7,8% para empresas.

A média diária das concessões de crédito livre cresceu 3,5% em março ante fevereiro, de acordo com o Banco Central. O movimento foi puxado pelo aumento na média de concessões para pessoa jurídica, que teve alta de 5,5% no mês. A média de concessões para pessoa física subiu 0,7% no mês.

No primeiro trimestre, a média de concessões do crédito livre cresceu 4%, mas liderado pelos empréstimos às famílias, que subiram 8,8% no período, enquanto o crédito para as empresas teve alta de apenas 1% no período.

As concessões acumuladas do crédito livre no mês de março tiveram alta de 8,7% ante fevereiro, com o segmento pessoa física registrando elevação de 5,7% e o pessoa jurídica, de 10,7%. No trimestre, as concessões acumuladas registram queda de 5,1%, com recuo de 0,7% no crédito às famílias e queda de 7,8% para empresas.

Crédito automotivo

 O crédito automotivo para pessoas físicas totalizou R$ 190,445 bilhões em março, o que representa um aumento de 1% em relação a fevereiro (R$ 188,563 bilhões). As operações com CDC registraram um aumento de 1,8% de fevereiro para março, passando de R$ 146,758 bilhões para R$ 149,332 bilhões.

Por outro lado, as operações com leasing recuaram 1,7% no mesmo período, passando de R$ 41,804 bilhões em fevereiro para R$ 41,113 bilhões em março.

Base monetária

A base monetária recuou 1,7% em março ante fevereiro, para R$ 180,765 bilhões, pelo critério de média dos saldos nos dias úteis, de acordo com dados do Banco Central. Em 12 meses, o indicador teve elevação de 13,9%. O estoque de papel-moeda emitido caiu 1,5% no mês, mas subiu 13,3% em 12 meses, totalizando R$ 135,529 bilhões, enquanto as reservas bancárias caíram 2,3% em março ante fevereiro e subiram 15,5% em 12 meses, totalizando R$ 45,235 bilhões.

Pelo critério de saldo em final de período (na ponta), a base monetária recuou 3,1%, para R$ 179,919 bilhões. Em 12 meses, no entanto, o indicador tem alta de 14,8% na ponta. O estoque de papel-moeda emitido recuou 1,5% em março ante fevereiro, para R$ 133,099 bilhões. Em 12 meses, tem alta de 11,7%. As reservas bancárias tiveram queda em março de 7,3% ante fevereiro, mas acumulam alta de 24,5% na ponta em 12 meses.

(Texto atualizado às 13h39)

Tudo o que sabemos sobre:
créditoBanco Centralautomóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.