Crescimento do PIB mostra que economia está se recuperando, diz Obama

A única notícia econômica que os norte-americanos estão esperando para ouvir é: 'Você está contratado', diz o presidente dos EUA

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

30 de abril de 2010 | 13h51

O presidente dos EUA, Barack Obama, destacou que o crescimento animador da economia no primeiro trimestre é uma prova de que as medidas de recuperação econômica adotadas por sua administração estão pagando dividendos. Ele afirmou, no entanto, que é necessário fazer mais. A única notícia econômica que os norte-americanos estão esperando para ouvir é: "Você está contratado", disse Obama durante discurso na Casa Branca.

O Produto Interno Bruto (PIB) apresentou um crescimento anualizado de 3,2% no primeiro trimestre, afirmou o Departamento do Comércio nesta sexta-feira. Os economistas tinham previsto uma alta de 3,3% para o PIB. Os gastos com consumo aumentaram 3,6% - o maior aumento desde a elevação de 3,7% observada no primeiro trimestre de 2007.

Os republicanos disseram que os números fortes não deverão apagar as perdas de empregos e não sugerem que o pacote de recuperação econômica funcionou. "Os impostos mais elevados e as sufocantes regulamentações aprovadas e propostas pelos democratas no Congresso estão reduzindo a criação de emprego que as famílias americanas precisam desesperadamente", afirmou Dave Camp, principal membro do Comitê de Meios e Recursos da Câmara de Deputados dos EUA, em um comunicado.

A demanda maior por bens está forçando as empresas a repor os estoques. As companhias norte-americanas liquidaram os estoques furiosamente no ano passado porque a recessão provocou um encolhimento das vendas. Os estoques das empresas subiram US$ 31 bilhões no primeiro trimestre, de acordo com o Departamento do Comércio, contribuindo com 1,57 ponto porcentual para o resultado do PIB.

Mas os mercados de trabalho parecem estar melhorando. Os empregadores norte-americanos criaram empregos no ritmo mais rápido em três anos, em março, segundo dados divulgados recentemente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBEUAeconomia: crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.