Criador do termo BRIC não considera África do Sul parte do grupo

Para Jim O'Neill, do Goldman Sachs, existem outros países emergentes com mais motivos para fazer parte do 'clube BRIC' do que a economia sul-africana

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

30 de setembro de 2011 | 14h22

Jim O'Neill, o homem que cunhou o termo BRIC para descrever as maiores economias emergentes do momento, disse nesta sexta-feira, 30, que discorda da inclusão da África do Sul no bloco.

"Eu não reconheço o 'S' do BRICS", declarou O'Neill, presidente de administração de ativos do Goldman Sachs, durante seminário promovido pela revista Economist em Londres.

"A África do Sul não tem a mesma magnitude econômica dos outros países BRIC", prosseguiu O'Neill no seminário "Mercados de Crescimento Elevado".

Quando cunhou o termo BRIC, em 2001, O'Neill referia-se às economias de Brasil, Rússia, Índia e China. Em abril de 2011, a África do Sul foi aceita pelos demais integrantes do bloco emergente e a sigla ganhou o "S", de South Africa, em inglês.

"Há um monte de outras economias em crescimento com mais motivos para serem aceitas no clube BRIC do que a África do Sul", justificou O'Neill em sua intervenção. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.