Crise de dívida europeia está aumentando, diz Lagarde

Para a diretora-gerente do FMI, cenário requer ação também de países de fora da UE

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2011 | 15h01

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou nesta quinta-feira, 15, que a crise da União Europeia está "aumentando" e requer ação também de países de fora da UE, segundo a rede Bloomberg News.

A "crise não apenas está se desdobrando, mas aumentando", afirmou Lagarde durante evento em Washington.

Segundo Lagarde, o panorama econômico mundial "não é particularmente auspicioso", mas sim "bastante sombrio". "Não é uma crise que será resolvida por um grupo de países tomando ações", destacou. "Ela deve ser resolvida por todos os países, todas as regiões, por países de todas as categorias realmente tomando ações."

Ela pediu "o apoio da comunidade internacional, provavelmente canalizado pelo FMI, organizando a responsabilidade financeira coletiva, a solidariedade fiscal" e também o compartilhamento de riscos para se superar a crise da dívida na zona do euro.

Lagarde disse que, se não houver uma união e a tomada compartilhada de riscos, mas sim o aumento do protecionismo e do isolamento, o quadro será similar ao dos anos 1930, "e o que ocorreu então não é algo que estamos buscando".

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
uecriselagade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.