Crise do setor de veículos deve durar 7 anos, diz Nissan

Presidente da montadora afirma que vendas mundiais devem cair para 55 milhões de unidades neste ano

Fabiana Holtz, da Agência Estado, e Reuters,

26 de janeiro de 2009 | 08h22

As vendas de carros novos devem cair para 55 milhões de unidades em todo o mundo neste ano, de 63 milhões de unidades do ano passado, e podem levar até 7 anos para retornarem aos níveis de 2007, previu o presidente da Nissan Motor, Carlos Ghosn.  Veja também:Toyota vê queda de 20% em sua produção mundial em 2009Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  A projeção significa que as vendas de novos carros, que recuaram 9% no ano passado, irão apresentar um declínio ainda maior em 2009. "Pode levar mais de sete anos para voltarmos a este nível (de 2007)", disse Carlos Ghosn, em uma conferência econômica na Arábia Saudita.  "Se fosse somente em relação à recessão, seria um problema de menor proporção, porque somos uma indústria cíclica", disse Ghosn, notando que a crise de crédito e a volatilidade das moedas estrangeiras pioram o impacto da recessão. Na avaliação de Ghosn, a atual desaceleração econômica continuará forte e pelos seus cálculos as vendas de novos carros não devem começar a crescer até 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.