Crise no Oriente Médio e África tem efeito sistêmico, diz Pimco

Para o executivo-chefe da Pacific Investment Management Co., os mercados globais terão de conviver com preços mais altos de petróleo por algum tempo

Renato Martins, da Agência Estado,

22 de fevereiro de 2011 | 15h18

O executivo-chefe da Pacific Investment Management Co. (Pimco), Mohamed el-Erian, disse em entrevista à rede de televisão Bloomberg que a turbulência política no Oriente Médio e no Norte da África deverá ter um "efeito sistêmico" na economia global, provocando um "vento estagflacionário" no curto prazo.

Para ele, o desempenho relativamente fraco do dólar durante esse período de crise é "uma advertência" de que a moeda norte-americana poderá perder seu status de refúgio seguro. Isso indica que as pessoas estão começando a se preocupar com a situação fiscal dos EUA e com o grau de endividamento do país, acrescentou.

"Tomo isso como advertência de que não podemos partir da premissa de que manteremos a posição de principal moeda de reserva, como no passado", disse El-Erian. Ele também afirmou que a alta dos preços do petróleo estão reduzindo o poder de compra, enquanto os riscos geopolíticos elevados poderão ter impacto negativo nos investimentos.

O CEO da Pimco disse ainda que os mercados globais terão de conviver com preços mais altos de petróleo "por algum tempo". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PimcoLíbiaOriente MédioÁfricacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.