CSN tem pane em alto-forno, mas produção é mantida

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) sofreu uma pane em um equipamento do principal alto-forno da usina de Volta Redonda (RJ), mas a falha não chegou a afetar a produção, informou a empresa.

REUTERS

30 de junho de 2009 | 16h15

Problema em válvulas de alívio conhecidas como "bleeders" do alto-forno 3 gerou emissão de fuligem que atingiu o centro da cidade.

O alto-forno 3 é responsável por 70 por cento da produção da usina de Volta Redonda, que tem capacidade para 5,6 milhões de toneladas de aço.

Segundo a CSN, o problema foi resolvido e o alto-forno está funcionando normalmente.

O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) informou que o problema vai gerar uma multa de entre 1 mil e 500 mil reais à CSN. O valor será determinado posteriormente. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, não há informação sobre se o problema ocorreu outras vezes anteriormente.

Segundo a assessoria do Inea, a CSN informou que o problema foi causado por um aumento na pressão interna no topo do alto-forno que acionou sistema de segurança do equipamento. Esse sistema ocasionou a abertura das válvulas durante cerca de 3 minutos, causando a emissão da fuligem.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIACSNPANE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.