CSN vende 17% menos minério de ferro no 3º trimestre

As vendas de minério de ferro da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) somaram 7,679 milhões de toneladas no terceiro trimestre do ano, o que representou um crescimento de 17% em relação ao volume vendido no mesmo trimestre do ano passado, informou na manhã desta quinta-feira, 14, a empresa. Esse volume, quando comparado ao segundo trimestre deste ano, avançou 27%.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

14 de novembro de 2013 | 09h54

"No terceiro trimestre, o mercado transoceânico de minério de ferro foi impactado positivamente pela maior demanda por produtos siderúrgicos na China, visto os fortes estímulos a investimentos em infraestrutura no país acabou resultando na retomada do processo de reestocagem de minério de ferro pelas usinas", destacou a CSN no documento que acompanha o seu demonstrativo financeiro.

A CSN detalhou que, do total vendido no trimestre passado, 2,9 milhões de toneladas foram comercializadas pela Namisa, na qual a CSN possui uma participação de 60%. No entanto, o volume de venda de minério de ferro considera 100% da Namisa. Adicionalmente, o volume de minério de ferro para consumo próprio chegou a 1,5 milhão de toneladas no período em análise.

No terceiro trimestre do ano foi embarcado no Tecar no Porto de Itaguaí um volume considerado recorde de 8,3 milhões de toneladas, o que, segundo a CSN, reflete a nova capacidade do porto, de 45 milhões de toneladas anuais.

Aço

As vendas de aço da CSN também recuaram no terceiro trimestre. O volume somou 1,531 milhão de toneladas, o que representou uma queda de 4% na comparação com o mesmo período do ano passado. Na relação com o segundo trimestre do ano houve também uma queda de 4%.

Do total das vendas no período, o mercado interno foi destino de 77% do volume, mesmo porcentual do observado no segundo trimestre, mas uma queda de 2 pontos porcentuais em relação ao visto no terceiro trimestre de 2012. Já 20% das vendas foram feitas por meio das subsidiárias da empresa no exterior e 3% do volume foi exportado.

No acumulado dos nove primeiros meses do ano o volume de aço chegou a 4,7 milhões de toneladas, aumento de 8% na mesma base de comparação. A CSN destacou ainda que a receita média por tonelada de aço chegou a R$ 2,043 mil no terceiro trimestre do ano, o que representou um aumento de 5% em relação ao verificado no trimestre imediatamente anterior.

Em relação à produção de aço bruto no período na Usina Presidente Vargas o volume chegou a 1,2 milhão de toneladas, leve aumento de 0,4% em relação ao segundo trimestre do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.